HM em revista

Corretivos coloridos: must have para todos!

Corretivos coloridos: must have para todos!
31/08/2018
MAKE

Yes, of course! “Sinceramente, até dá para sobreviver sem esse tipo de produto, mas com ele a vida do profissional fica tão mais fácil, já que não precisa colocar seu talento à prova usando pigmentos para tentar neutralizar os subtons de pele causados por olheiras, manchas e afins”, resume o beauty artist Bruno Moura, do Fernando Torquatto Studio. Confira outras confissões e artimanhas do expert

Shâmia Salem

 

 

1. Hoje é tão fácil encontrar produtos com altíssima cobertura. Eles não são autossuficientes, a ponto de dispensar o uso do corretivo colorido?

De jeito nenhum! E a maneira mais fácil de entender isso é lembrando que cobertura e camuflagem são coisas completamente diferentes. Esconder imperfeições exige jogar com a colorimetria. Pegando como exemplo as olheiras, é esperado que elas fiquem acinzentadas se você usar só corretivo cor de pele; tudo culpa da hiperpigmentação azulada, que, antes, precisa ser quebrada com um tom alaranjado.

 

2. Mesmo que a cliente precise, há casos em que você abre mão do corretivo colorido?

Sempre faço isso quando a pessoa tem flacidez na pálpebra, para não evidencia-la, deixando o olhar ainda mais envelhecido. Nesse tipo de situação prefiro me limitar a fazer uma correção mais branda, usando uma base rosada ou amarelada e corretivo convencional.

 

3. Por que você vai contra a onda de aplicar corretivo colorido depois da base?

Não se trata de rebeldia da minha parte. Aliás, conheço muitos maquiadores que seguem essa regra e têm belíssimos trabalhos. Mas eu, particularmente, acredito que a camuflagem fica mais natural e discreta quando faço primeiro todas as correções necessárias com o corretivo colorido e, só depois, uniformizo o tom da pele com base seguida por corretivo cor de pele.

 

4. Ao mesmo tempo em que você se preocupa tanto com um resultado natural, é fã de corretivo espesso. Qual a explicação para esse disparate?

A resposta está na excelente cobertura oferecida por esse tipo de produto e na misturinha que faço dele com um bom diluidor de maquiagem. Assim, a textura fica mais fluida e o cosmético não perde sua performance para fazer coberturas difíceis, como a de olheiras muito escuras e de imperfeições em áreas aonde a base dura menos, caso da zona T.

 

5. Quais outras artimanhas você usa para atingir o melhor resultado em correção?

Entre as que considero mais preciosas estão: aplicar o corretivo sempre com pincel e esponja, já que o dedo, mesmo com batidinhas delicadas, por deixar digitais e alterar o efeito do produto; e escolher a cor do corretivo fazendo o cruzamento entre o problema a ser disfarçado e o tom de pele da cliente. Daí a explicação para eu usar corretivo alaranjado nas olheiras das negras e amarelado nas das brancas.

 

 

“Regra geral, o corretivo amarelo camufla cicatrizes de acne enquanto o verde suaviza tons avermelhados, o lilás as manchas escuras e o alaranjado, as olheiras”

Bruno Moura, beauty artist do Fernando Torquatto Studio, no Rio de Janeiro

 

 

NA FOTO: Corretivo, Catharine Hill. Tem ótima cobertura e sua consistência cremosa permite espalhar com facilidade, sem deixar acúmulos.